Skip links

Lojistas projetam otimismo nas vendas de Natal em Sapiranga

Cenário no município acompanha previsão de altas nos negócios estimada no âmbito nacional

 

Apesar de haver certa moderação, os consumidores estão indo às compras para a época mais importante do ano para o varejo. O Natal promete bons negócios e as lojas já registram grande procura por presentes.

– Com certeza esperamos vender um pouco mais do que no ano passado. Estamos com estoques de roupas mais focadas para festa, mas já com coleções voltadas para o verão incluindo roupas muito alegres e vivas – afirma a empresária Ivania Butenbender da Loja Loni Confecções.

A empresária Eloisa Nadler, da relojoaria Nadler, ressalta que é importante que as pessoas se desarmem de pensamentos negativos e pessimistas trazidos pelo cenário econômico de recessão recente.

– Estamos com uma boa expectativa especialmente na venda de relógios que são um presente muito procurado. Além disso, óculos solares e joias também costumam vender bem nessa época do ano – disse.

O Natal para o empresário, Gerson Jaques Muller, da Lucinha Mimos, representa uma virada nos negócios.

– Tivemos um início de ano que não foi fácil, mas desde outubro para cá os resultados começaram a surpreender. Dentro de uma realidade que vivemos, podemos projetar um resultado bom para esse ano. Estamos no mercado há 42 anos e queremos trabalhar forte para esse ano brinquedos e produtos de utilidade doméstica – disse.

Segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL/SPC Brasil), as vendas

no Natal devem movimentar R$ 60 bilhões na economia. Cada presente custará, em média, R$ 125; lojas de departamento e internet superam shopping center na busca por presentes. Em média, os consumidores ouvidos pelo levantamento devem adquirir quatro presentes. Já o ticket médio, ou seja, o valor a ser gasto pelo consumidor com cada item comprado, será de R$ 124,99, cifra que sobe para R$ 143,26 entre os consumidores das classes A e B e cai para R$ 119,11, entre os de mais baixa renda. Há, contudo, uma parcela considerável de 23% de consumidores que ainda não se decidiu quanto ao valor a ser desembolsado.

Redação: Marcelo Matusiak
Coordenação: Marcelo Matusiak

Escreva um Comentário