Skip links

CDL Sapiranga intervém junto a Prefeitura para pedir reabertura do comércio

Medida foi tomada após troca da bandeira para vermelha, estabelecida em decreto do Governo do Estado

Inconformados com a decisão, os lojistas estão se unindo para através da Prefeitura de Sapiranga intervir junto ao governo estadual a fim de que seja revertida a decisão que acabou com a flexibilização e estabeleceu novamente o fechamento do comércio. Antes, as lojas estavam operando mediante uma série de cuidados para prevenção da propagação da COVID-19. Um ofício foi formalizado no domingo (21/06) pela entidade que representa o varejo no município e o poder executivo municipal já anunciou que vai recorrer da decisão do Governo do Estado, que colocou a cidade como bandeira vermelha dentro do mapa de distanciamento controlado a partir da próxima terça-feira (23).

“Não podemos aceitar esta situação insustentável imposta para os comerciantes e prestadores de serviços, devendo ser mantida a continuidade da atividade econômica e dos empregos que as empresas geram. Inúmeros prejuízos já foram sofridos durante o período de quase trinta dias, entre março e abril, no qual os estabelecimentos em geral se mantiveram fechados, onde se constatou um grande aumento de desemprego, fechamento de empresas, com encerramento de suas atividades”, afirma a presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sapiranga, Clarice Strassburger.

A CDL de Sapiranga tem pleno conhecimento que estamos enfrentando uma pandemia mundial em virtude do corona vírus e a entidade reconhece a atenção e todos os cuidados que estão sendo tomados com a saúde pública, inclusive os esforços conjuntos para estancar a epidemia.

“A entidade está junto nesta luta, mas temos também muita preocupação com as graves consequências que já estão sendo enfrentadas pelos comerciantes, prestadores de serviços e indústrias locais, cujas atividades econômicas recentemente foram retomadas e encontram-se em risco de nova paralisação, o que acarretará prejuízos irreparáveis não só aos empreendedores, mas principalmente a sociedade em geral, inclusive ao setor público”, completa.

No documento a CDL Sapiranga reforça que os proprietários dos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços vem cumprindo, na íntegra, todas as disposições constantes nos decretos estadual e municipal, no que se refere as medidas de higiene e sanitárias a serem seguidas nos comércios e serviços, ou seja, estão cumprindo de forma rigorosa o dever legal imposto de combate ao corona vírus. Além disso, não existe qualquer indicador a demonstrar a ocorrência de qualquer contágio de corona vírus, seja em estabelecimento comercial ou em local de prestação de serviços. Desde o início de pandemia, a Câmara de Dirigentes Lojistas manteve uma posição de conciliação e equilíbrio, ou seja, priorizando seu compromisso social, expresso pela preservação do bem-estar das pessoas, e, da mesma forma, se manteve na defesa do direito dos comerciantes ao livre exercício de suas atividades de forma responsável, consciente, conforme as novas regras impostas pelos poderes públicos, recomendadas pelos órgãos da saúde.

“Não é o fechamento do comércio e serviços que vai fazer com que o COVID-19 não se dissemine, mas sim, devem ser tomadas medidas para conscientizar os cidadãos sobre as medidas a serem tomadas para evitar o contágio e proliferação do corona vírus”, finaliza a presidente da CDL Sapiranga, Clarice Strassburger.

Redação: Marcelo Matusiak
Coordenação; Marcelo Matusiak

Escreva um Comentário