Skip links

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sapiranga apresentou o documento para a prefeita eleita, Carina Nath e para o secretário municipal da Indústria, Comércio e Tecnologia, José Ademir Della Libera Soares dos Santos. O objetivo foi demonstrar ações que vão ao encontro do fortalecimento do segmento e que, consequentemente, ajudem a impulsionar a economia do município.

Melhorias físicas na região central, revitalização de praças e espaços públicos são alguns dos itens em destaque. A carta também lista a importância da criação de incentivos fiscais para fortalecimento do comércio e criação de uma agenda propositiva de ações de incentivo ao consumo no comércio local.

O encontro foi realizado na última quinta-feira (28/01) no gabinete da prefeita.

Tópicos reivindicados pelos lojistas

1) Proceder na revitalização e modernização da área central de Sapiranga, principalmente da Avenida João Correa, onde encontra-se instalado o principal foco de comércio da cidade.
2) Revitalização das praças da cidade, inclusive com manutenção constante para sua preservação.
3) Instalação de ciclovias na área central da cidade, inclusive estacionamento para bicicletas.
4) Estabelecer uma pena pecuniária aos usuários das calçadas da área central da cidade que utilizarem o espaço público e de uso comum do povo para demonstração dos produtos comercializados.
5) Instalar lixeiras em toda área central da cidade, para incentivar a conscientização da população da necessidade de manter-se a cidade limpa.
6) Proporcionar a diversificação da economia no município, através da instalação de novas empresas e incentivos fiscais, criando alternativas de fonte de renda para a comunidade Sapiranguense.
7) Criar um planejamento de crescimento organizado da cidade, com estratégias que tenham sequência.
8) Trazer ou criar uma universidade para o município.
9) Trazer cursos técnicos para diversos segmentos da economia (indústria, comércio de bens e serviços).
10) Implantação de um projeto de Natal para cidade, mas que envolva toda a comunidade, como a indústria, comércio, prestadores de serviços, entidades e escolas.
11) Trabalhar as datas comemorativas, incentivando o comércio local e para incremento das vendas do varejo de Sapiranga.
12) Criar eventos para atrair interesse dos consumidores de outras cidades para Sapiranga, para que a cidade seja identificada como um pólo de negócios e cultura. (teatro, gastronomia, etc).
13) Criar uma agenda propositiva da gestão municipal para estimular o comércio local;

14) Impedir o comércio ilegal e irregular na cidade, ou seja, ambulantes sem alvará de licença ou autorização do município, para vedar a concorrência desleal;

15) Fiscalizar e aplicar a legislação pertinente para a prática do comércio irregular;

16) Disponibilizar vagas nas creches vinculadas ao Município para os filhos dos funcionários do comércio, com horários estendidos durante a semana e no sábado.

Além das reivindicações acima, a CDL de Sapiranga também solicitou propostas para garantir a permanência das empresas existentes e atrair mais e, preferencialmente, novos segmentos e medidas para estimular o turismo da cidade, cuidados com a saúde, educação, infraestrutura e segurança pública.

Redação e coordenação: Marcelo Matusiak