Skip links

Calamidade pública altera funcionamento do comércio em Sapiranga

Orientação da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) é para que sejam observadas com rigor regras estabelecidas em Decreto Estadual e para que sejam seguidas orientações gerais das autoridades de saúde

O funcionamento dos estabelecimentos comerciais de Sapiranga deve acontecer de acordo com as normas estabelecidas no decreto municipal, publicada no âmbito do Município de Sapiranga, sob o comando da prefeita Corinha Molling.As medidas tomam como base o Decreto Estadual N.º 55.128, publicado no Diário Oficial, que declara estado de calamidade pública em todo o território do Estado do Rio Grande do Sul para fins de prevenção e de enfrentamento à epidemia causada pelo novo coronavírus.

“Compreendemos que é um momento muito difícil para todos. A economia, sem dúvida será afetada, mas o momento é de união e de esforços máximos no sentido de preservação da saúde e da vida de todos os empresários e colaboradores do nosso segmento”, afirmou a presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sapiranga, Clarice Strassburger.

Entre os aspectos citados na medida, no que se refere ao comércio a medida mais importante é a proibição das atividades comerciais e da prestação de serviços privados não essenciais, implicando no fechamento do comércio local, aí entendidos, as academias, piscinas, áreas de lazer, clubes (shows, bailes, boates, festivais), casas de festas, quadras esportivas, escolas de futebol, salões de beleza, financeiras, imobiliárias, clínicas estéticas, comércio de ambulantes, lojas em geral, entre outros.

Restaurantes, bares e lanchonetes devem higienizar, após cada uso, durante o período de funcionamento e sempre quando do início das atividades, as superfícies de toque (cardápios, mesas e bancadas), preferencialmente com álcool em gel 70% ou outro produto adequado. Além disso, manter a capacidade máxima de pessoas correspondente ao número de assentos do estabelecimento, não sendo permitida a permanência de pessoas em pé.

Os estabelecimentos comerciais essenciais (que permanecem abertos) devem adotar sistemas de escalas, de revezamento de turnos e alterações de jornadas, para reduzir fluxos, contatos e aglomerações de trabalhadores, bem como implementem medidas de prevenção ao contágio pelo Covid 19 (coronavírus), além do controle do número de consumidores para evitar aglomeração de pessoas, bem como manter controle das filas, quando existentes, no lado externo, tanto em relação a prioridades quanto distanciamento entre as pessoas. O Parque Municipal do Imigrante, Museu Municipal, Centro Municipal de Cultura, Biblioteca Municipal, Casa do Imigrante, ginásios Nenezão e Palácio dos Esportes ficarão fechados, não sendo permitido o acesso ao público.

Redação: Marcelo Matusiak
Coordenação: Marcelo Matusiak

Escreva um Comentário